Menu de navegação de página

T e x t o s & T e x t u r a s

A caminho da Páscoa

Na última quarta-feira, iniciamos com Cristo, simbólica e liturgicamente, nossa “Via Crucis”.

Durante quarenta dias, trilharemos as sendas áridas do deserto da alma humana, orando, jejuando e praticando a solidariedade.

Nossa melhor oração haverá de ser o silêncio contemplativo e a ausculta atenta do que Deus tem a nos dizer, entre um sopro e outro da suave brisa do Espírito.

Nosso melhor jejum será o dos pensamentos perversos, das palavras ofensivas e dos gestos violentos.

A solidariedade autêntica será aquela que estende a mão à mais pequenina, frágil e ameaçada criatura do planeta e da nossa vizinhança.

Nesse tempo de recolhimento, nos absteremos de extravagâncias, de interjeições efusivas, de gestos bruscos e ameaçadores…

… até aquela ensolarada manhã Pascal, na qual se ouvirá o grito de júbilo anunciando que a Vida venceu a morte.

Por enquanto: Oração–jejum–esmolas serão os sinais da nossa reconciliação com Deus, conosco mesmos e com o próximo.

Via Crucis: Tempo de comtemplação de Deus no próximo, refletidos no nosso próprio olhar.

Via Crucis: uma estrada e uma cruz nos esperam.

«Se alguém quiser me acompanhar,
negue-se a si mesmo,
tome a sua cruz
e me siga.»
(Mc 8.34 LCR)

Rev. Luiz Carlos Ramos
Por uma igreja de mentes abertas, corações abertos e braços abertos

Para a Quaresma
| Ano B, 2018

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: