Menu de navegação de página

T e x t o s & T e x t u r a s

Ana Paula, 15 anos

APalavra dirigida à Ana Paula, por ocasião do seu aniversário de 15 anos

(1º. de março de 2008)

Querida Ana Paula,
convidadas e convidados,

ImagemPermitam que eu me apresente. Tenho o máximo orgulho de ser o pai da aniversariante. Quando essa menina, de olhos de jabuticaba, tinha apenas algumas dúzias de horas de vida e foi trazida para a casa dos avós paternos, a família toda reuniu-se, para admirá-la, ao redor da banheirinha onde ela haveria de tomar seu primeiro banho. Na ocasião, chovia a cântaros (como hoje). Celebramos ali mesmo, numa singela cerimônia, a chegada daquela que, para nós, era (e ainda é) o bebê mais lindo que já teria vindo ao mundo. Foi então que cantamos a música cujo verso está transcrito no convite para esta festa, que a Ana Paula carinhosamente nos enviou: “São as águas de março fechando o verão / é a promessa de vida no teu coração…” (E pau é pedra, de Tom Jobim).

Hoje, enfrentei quase uma dúzia de horas de estrada para estar aqui e, todo esse tempo, uma chuva generosa me acompanhou. E eu vinha pensando que esse é um belo sinal das “promessas de vida no coração”.

Mas o que eu tinha preparado, mesmo, para dizer hoje para a Ana Paula, e para todos os convidados e convidadas, é o seguinte: A Ana Paula é uma menina brilhante e eu tenho aprendido muito com ela, nesses seus 15 anos. Escolhi, dentre muitos, um episódio em particular, para compartilhar com vocês, agora:

Certa vez, quando ela contava ainda seis aninhos, mas já se destacava nos estudos avançados da astrofísica, estávamos longe e conversávamos pelo telefone. Ao final da conversa, na despedida, eu lhe disse: “— Um milhão de beijos pra você, filhota.” Ao que ela respondeu: “— Não pai, sabe as estrelas do céu? Cada estrela é um beijo meu pra você.” Emocionado, eu respondi: “— Um Universo de beijos pra você também, minha filha.” Mas ela me corrigiu: “— Não, pai! Um Espaço Sideral de beijos pra você.” Essa é a brilhante Ana Paula…

Eu sempre me encantei, ao ler na Bíblia, com aquela passagem na qual Jesus dizia: “— Vós sois a luz do mundo… ninguém, minimamente inteligente, acende uma lamparina e a coloca em baixo de um pote de farinha… isso seria como querer esconder uma cidade construída na encosta da serra… Assim também deve brilhar a vossa luz!”

Lindo, não?! Mas o meu lado pragmático sempre me fazia indagar: “— Mas como é que eu faço pra ser luz e brilhar dessa maneira?” Eu não sabia onde ficavam as baterias, nem a localização do interruptor.

Foi então que a Ana Paula “matou a charada”. Para a gente ser como estrela basta dar um beijo carinhoso, fazer um gesto de amor: “— Cada estrela é um beijo meu pra você!”

Dizem os astrônomos que algumas das estrelas que vemos no céu já morreram há milhões, talvez bilhões de anos. No entanto, sua luz continua vencendo o tempo e rumando ao infinito. Ser luz, portanto, é a melhor maneira de vencer o tempo e alcançar o infinito. E amar, e praticar gestos de amor, é a melhor maneira de ser luz.

Hoje também quero dar a você, filhota, um presente… normalmente este anel é chamado de “solitário de brilhante”, o que, pra mim é uma contradição flagrante de termos, pois ninguém que seja brilhante é solitário. (E veja só como você está acompanhada, e muito bem acompanhada, nesta festa).

Meu desejo é que, quando você olhar para este anel, você se lembre de todos os beijos estrelados que você recebeu nesta noite; e que essa lembrança inspire você a continuar carinhosa e amorosa na sua viagem brilhante, no tempo, rumo ao infinito… e além!

Amo você, filhota.

Feliz aniversário de 15 anos.

Seu, sempre, pai,

Luiz

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: