Menu de navegação de página

T e x t o s & T e x t u r a s

Dúvida cruel

Trapezio

(Texto e alocução by Luiz Carlos Ramos)
Clique aqui para fazer download da gravação em PM3

* * *

Olá, eu sou o Luiz, e se você está ouvindo isto  é porque em algum lugar nós temos algum amigo ou amiga em comum. Esta é, portanto, uma conversa entre amigos.

Pode ser que você esteja um pouco desconfiado. Pois saiba que é este justamente o assunto da nossa conversa. As pessoas são desconfiadas e temem as dúvidas.

Mas imagine se você decidisse que hoje viveria somente com base nas certezas e deixaria de lado qualquer situação sobre a qual pairasse sombra de dúvida. Sua vida não seria nada fácil. Por exemplo, você só se sentaria em uma cadeira depois de assegurar-se de que ela está bem firme e não dará com você ao chão. Ou então você só daria partida no carro depois de fazer um teste no alternador e verificar a carga da bateria, para ter certeza de que o motor vai pegar. Também teria dificuldades para circular pela cidade, pois teria que parar em todas as esquinas mesmo sendo sua a preferencial, para assegurar-se de que não há um motorista irresponsável nas redondezas. Antes de sair para o trabalho você teria que confirmar na firma se está tudo em ordem e se o patrão não pretende despedir você. Na hora do almoço, você exigiria um teste de laboratório para assegurar-se de que não lhe serviram comida envenenada… Imagine as incontáveis situações que transtornariam o seu dia: calçar um sapato, ligar um interruptor, abrir uma torneira, tomar o metrô, o elevador, acionar um maquinário ou equipamento, utilizar uma ferramenta, tomar um avião…

A esta altura da conversa você já se deu conta de que talvez seja melhor fazermos as pazes com as nossas dúvidas, mesmo porque não há como ter certeza de tudo. 

Isso significa também que todos nós, mesmo os mais desconfiados, temos que desenvolver uma dose de fé pra poder viver.

Você pode estar pensando:

Vá lá, eu até tenho fé para me deixar cair num sofá macio, mesmo correndo o risco de alguém ter escondido nele uma taxinha. Posso atravessar  um cruzamento mesmo sabendo que pode haver um motorista irresponsável na redondeza. Posso sair para o trabalho  na esperança de que hoje não serei mandado embora… para essas coisas até tenho fé, mas para outras, “com certeza”, não tenho.

Falta-me a fé para enfrentar os conflitos que vivo em casa, as doenças na família, as dificuldades financeiras, e sem falar na frustração com esses políticos, no medo da violência, do terrorismo… confesso que pra mudar tudo isso me falta fé.

Certa vez um homem cujo filho estava muito doente pediu, aos prantos, que Jesus o curasse, e Jesus lhe disse: Se você crê ele será curado. A resposta daquele homem é uma das mais surpreendentes da Bíblia. Ele respondeu com as lágrimas lhe escorrendo pelo rosto:

“Eu creio Senhor! ajuda-me na minha falta de fé.”

Esse é o nosso retrato: nós cremos mas ao mesmo somos incrédulos, temos fé e ao mesmo tempo nos falta fé. Ter fé, crer e confiar é ser capaz de viver e conviver com a dúvida, com as incertezas. 

O famoso apóstolo Paulo, passou por uma grande transformação em seu jeito de viver e encarar a vida: antes ele perseguia quem tinha fé, mas depois foi ele mesmo quem disse:

“O justo viverá pela fé.” 

Sabe de uma coisa, diferente do que muitos dizem, a fé não é a certeza de que tudo vai se resolver como que por encanto ou milagre, ao contrário, a fé é a força que nos possibilita caminhar em direção às grandes transformações apesar da dúvida e a despeito de todas as  incertezas. 

Se você precisa de grandes transformações na sua vida, como eu preciso na minha, talvez você possa começar  repetindo a oração daquele homem:

“Eu creio, Senhor! Ajuda-me na minha falta de fé.”

E siga em frente, porque o justo viverá pela fé. 

* * *

Arquivo 29-06-16 17 35 13

Conversa entre amigos
é uma iniciativa da Igreja Metodista de Pirassununga.
Corações abertos. Mentes abertas. Braços aberto.

Visite-nos em
www.metodistapirassununga.org

3 Comentários

  1. Suas prédicas sempre nos levem a reflexão!

  2. Obrigada, querido Pastor. Bênçãos!

  3. Bravo!!!

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: