Menu de navegação de página

T e x t o s & T e x t u r a s

Lágrimas

bonecos_na_chuva

Elas
desceram,
mansas,
precedidas de
diáfanas
brumas,
mas,
definitivamente,
não eram de tristeza
!
.
.
e,
com
suavidade,
molharam
as
sequiosas
faces
.
.
.

Logo,
outras se precipitaram,
às bátegas,
. .
. . . .
. . . . . .
. . . . . . . . .
escorrendo
por . entre . o . colo . arfante,
e . percorreram,
sô . fre . gas,
os . indecifráveis
sulcos
que . acolhem,
solenes,
a
en : xur : ra : da
da . : . vida
. . . . . . . .
…………….. . . . . . .
……………………………… . . . . .
………………………….. . . .
…………………. . .
…. …… .
…. .
..
.

Rolaram,
remansosas,
por entre férteis vales,
em busca do vasto-mar-oceano,
que é onde descansam os exaustos
viajantes e renascem as já desmaiadas esperanças.
~. ~ . ~ . ~ . ~ . ~. ~ . ~ . ~  . ~. ~ . ~ . ~ . ~. ~ . ~ . ~ . ~. ~ . ~ . ~

Luiz Carlos Ramos
(Aos 26 de abril de 2016, celebrando a chuva,
depois de prolongada estiagem)

Um comentário

  1. Lágrimas que lavam a alma – essa segunda pele, às vezes ressecada ou suja por desconsiderações.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: