Menu de navegação de página

T e x t o s & T e x t u r a s

O maior dentre os menores versículos

O núcleo da história da salvação é Jesus Cristo, e o núcleo do núcleo é o Mistério Pascal. Assim também pode ser definida a passagem de João 3.16, como o Evangelho dentro do Evangelho:

«Porque Deus amou o mundo de tal maneira
que deu o seu Filho unigênito,
para que todo o que nele crê não pereça,
mas tenha a vida eterna.»

Neste pequeno versículo estão resumidas as maiores verdades do Evangelho:

  • Na expressão «Deus amou», somos apresentados ao maior e único dentre todos os deuses, o Deus de amor. Somente um Deus-Amor merece ser reconhecido como Deus.
  • Nele também descobrimos a maior de todas as expressões de amor: «Deus amou o mundo». Amor que não seja inclusivo, que não abrace o mundo inteiro, não é digno de ser chamado Amor.
  • Nele nos é apresentado, ainda, o maior de todos os dons: «de tal maneira que deu o seu Filho unigênito». A maior prova de amor que alguém pode dar, é dar-se a si mesmo. E o Pai e o Filho são um (Jo 10.30).
  • E, finalmente, neste pequeno versículo, identificamos o maior de todos os atos salvíficos: a plena redenção, a boa-nova de que, em Cristo, não estaremos mais sujeitos ao mal, à injustiça e à morte –«não pereça»–, e poderemos possuir e experimentar, desde já, «a vida eterna».

Rev. Luiz Carlos Ramos
Por uma igreja de mentes abertas, corações abertos e braços abertos

Para o Quarto Domingo na Quaresma
| Ano B, 2018

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: