Menu de navegação de página

T e x t o s & T e x t u r a s

O único mandamento

Bell-tower-of-St-Oswalds--007

Marcos 12.28-34:

Um catedrático do Direito que estava ali ouvindo a discussão, vendo que Jesus dava boas respostas para todas as perguntas ardilosas que lhe faziam, lhe perguntou:

— Qual é o mais importante de todos os mandamentos da Lei?

Jesus respondeu:

— É este o mais importante de todos os mandamentos da Lei: “Escute, povo de Israel! O Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma, com toda a mente e com todas as forças.” E o segundo mais importante é este: “Ame os outros como você ama a você mesmo.” Não existe outro mandamento mais importante do que estes dois.

Então o catedrático da Lei disse a Jesus:

— Muito bem, Mestre! O senhor disse a verdade. Ele é o único Deus, e não existe outro além dele. Devemos amar a Deus com todo o nosso coração, com toda a nossa mente e com todas as nossas forças e também devemos amar os outros como amamos a nós mesmos. Pois é melhor obedecer a estes dois mandamentos do que trazer animais para serem queimados no altar e oferecer outros sacrifícios a Deus.

Jesus viu que o catedrático da Lei tinha respondido com sabedoria e disse:

— Você não está longe do Reino de Deus.

Depois disso ninguém tinha coragem de fazer mais perguntas a Jesus.

O mandamento do amor é uma moeda com duas faces: uma direcionada para Deus e a outra para o próximo. Não se pode raspar um dos lados sem invalidar moeda inteira. Ou, como gostava de comparar o saudoso Rev. Luciano Lima, o amor é uma carroça de duas rodas, se tirarmos uma das rodas, a carroça não avança, só anda em círculos. Amor a Deus e ao próximo são, portanto, um só e único mandamento. Ainda mais se consideramos que Jesus nos ensinou que demonstramos nosso amor por ele na medida em que amamos os mais pequeninos da nossa sociedade (cf. Mt 25.35). Concluímos assim que a melhor, talvez a única, maneira de demonstrar amor a Deus é amando o próximo.

Quem ama não tem ocasião para pecar, portanto:

“Ama e faze o que quiseres. Se calares, calarás com amor; se gritares, gritarás com amor; se corrigires, corrigirás com amor; se perdoares, perdoarás com amor. Se tiveres o amor enraizado em ti, nenhuma coisa senão o amor serão os teus frutos.”

(Santo Agostinho, séc. IV)

O amor é o grande mandamento. O amor é o único mandamento. Somente aquele que ama, crê. Somente o que ama é o que guarda os mandamentos. Somente o que ama permanece em Deus e Deus nele.

E não nos esqueçamos:

“Nós não podemos fazer nenhuma grande coisa — só coisas pequenas com grande amor”

(Madre Teresa de Calcutá)

Reverendo Luiz Carlos Ramos

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: