Menu de navegação de página

T e x t o s & T e x t u r a s

Poemas sagrados de consolação e alento

Stained_glass_3-b

(Para o Luciano, em nome da nossa amizade que é imortal, ofereço estes três poemas extraídos do Livro Sagrado. O primeiro é a prece angustiada do sofredor que enfrenta a dor com dignidade inabalável e celebra a vida com as forças que lhe restam. O segundo é uma canção peregrina que retrata a jornada daquele que atravessa áridos desertos e escala escarpados desfiladeiros, rumo às misericórdias de Javé. No terceiro, o Poeta de Nazaré traça, com linhas suaves, a doce fisionomia do bem-aventurado, cujo perfil coincide com o seu rosto sereno, querido Luciano. A trilha musical é, em si, fervorosa oração.)

Ouve, Senhor, a minha súplica,
e cheguem a ti os meus clamores.
Não me ocultes o teu rosto no dia da minha angústia;
inclina-me os teus ouvidos;
no dia em que eu clamar, ouve-me, Senhor.

Porque os meus dias como fumaça se desvanecem,
e os meus ossos ardem como em fornalha;
ferido como a erva, secou-se o meu coração;
até me esqueço de comer o meu pão.

Os meus ossos já se apegam à pele,
por causa do meu dolorido gemer.

Sou como um pelicano no deserto,
como a coruja das ruínas.

Não durmo,
e sou como o passarinho solitário nos telhados. […]

Por pão tenho comido cinza,
e misturado com lágrimas a minha bebida. […]

Ficará isto registrado para a geração futura,
e um povo, que há de ser criado,
louvará ao Senhor;
que o Senhor do alto do seu santuário
desde os céus, baixou vistas à terra,
para ouvir o gemido dos cativos,
e libertar os condenados à morte”
(Sl 102.1-21).

[Cântico de peregrinação]
Das profundezas clamo a ti, SENHOR.
Escuta, Senhor, a minha voz;
estejam alertas os teus ouvidos às minhas súplicas.

Se observares, SENHOR, iniquidades,
quem, Senhor, subsistirá?
Contigo, porém, está o perdão, para que te temam.

Aguardo o SENHOR,
a minha alma o aguarda;
eu espero na sua palavra.

A minha alma anseia pelo Senhor
mais do que os guardas pelo romper da manhã.

Mais do que os guardas pelo romper da manhã,
espere Israel no SENHOR,
pois no SENHOR há misericórdia;
nele, copiosa redenção.

É ele quem redime a Israel de todas as suas iniquidades.
(Sl 103).

Bem-aventurados os que têm saudade de Deus;
o Reino dos Céus lhes pertence.

Bem-aventurados os tristes;
consolo lhes será dado.

Bem-aventurados os de espírito manso;
a terra lhes será dada por posse.

Bem-aventurados aqueles que têm fome e sede de justiça;
eles serão satisfeitos.

Bem aventurados aqueles que mostram misericórdia;
porque eles receberão misericórdia.

Bem-aventurados aqueles cujos corações são puros;
eles verão a Deus.

Bem-aventurados os que lutam pela paz;
Deus os chamará de filhos.

Bem-aventurados aqueles que têm sofrido
perseguição por causa da justiça;
o Reino dos Céus lhes pertence.
(Mt 5.3-11, ver. de Rubem Alves)

Alocução: Luiz Carlos Ramos
Música (composição e piano): Liséte Espíndola
Junho/2015

3 Comentários

  1. Muito bela essa homenagem feita a meu amado irmão Luciano!!!!Muito obrigada!!!!

  2. Muito adequados estes poemas que preenchem um vazio existencial que teima em querer tomar conta das vidas de todas e todos nós. O Senhor da Bíblia é regra suficiente de nossa fé!
    Obrigada, Luiz Carlos!

  3. Belo, Luiz! Também sinto-me consolado! Grato!

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: