Menu de navegação de página

T e x t o s & T e x t u r a s

Rev. Joás Dias de Araújo

In memoriam (11.4.1938—28.1.2003)

Rev. Joás Dias de Araújo

 

Gostaria de me expressar em nome do Cebep.

Quando digo Cebep, não me refiro a uma instituição à qual o Rev. Joás serviu como colaborador, membro da assembléia, da diretoria e, reiteradas vezes, como Presidente. Refiro-me, antes, a uma nuvem de testemunhas espalhadas por todo o Brasil e América Latina, gente com rosto, mãos e pés que aprenderam a respeitar, admirar e a amar o Rev. Joás. E, ao que parece, a recíproca era verdadeira, porque nos sentíamos profundamente amados por ele.

O Rev. Joás representa a encarnação do nosso projeto, pois o Cebep é um centro de estudos pastorais, cujo objetivo é mais do que unir, é “aunar” estudo e pastorado. O Rev. Joás percebeu, como poucos, que para ser pastor não basta ter sido, um dia, estudante, mas que é preciso tornar-se um estudioso permanente da teologia. O labor do estudante se encerra com a formatura, a do estudioso se estende por toda a vida. Para o estudioso não há formatura, há porém, na melhor das hipóteses, transformatura. E hoje estamos concelebrando a plena transformatura do nosso querido Joás.

Isso não significa que seja para ele o fim das pesquisas. Pela leitura do Apocalipse aprendemos que no Céu também há livros – alguns servem até para se comer… Eu não me surpreenderia se, podendo dar uma expiada, surpreendêssemos o Rev. Joás, amante dos livros como era, debruçado, examinando o Livro da Vida, ainda fechado para nós, mas aberto definitivamente para ele.

Ao Rev. Joás a nossa saudade, homenagem e gratidão por ter-lhe sido companheiro e discípulo. Aos seus queridos, àqueles e àquelas que mais sentirão sua falta, porque o amaram mais, o nosso carinho, a nossa oração e uma palavra de consolação — para o que, por já me faltarem as minhas, empresto as do salmista:

SENHOR, não é soberbo o meu coração,
nem altivo o meu olhar;
não ando à procura de grandes coisas,
nem de coisas maravilhosas demais para mim.

Pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma;
como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe,
como essa criança é a minha alma para comigo.

Espera, ó Israel, no SENHOR, desde agora e para sempre. (Sl 131)

Luiz Carlos Ramos
29.1.2003

Clique aqui para ler histórico preparado Késia de Araújo Seignemartin
(filha do Rev. Joás), por ocasião de seu 60°. aniversário  em 1998, em Americana, SP, e complementado em 2003,  após  a partida do Rev. Joás ao encontro de nosso Pai celestial.

2 Comentários

  1. Me emocionei ao ler este post – apesar de meu tio ter falecido em 2003, ainda hoje, nos emocionamos ao lembrar dele – tem feito muita falta entre nós

    • O Rev. Joás continua a nos apascentar, pois a memória das suas ideias, palavras e ações, ainda hoje, nos levam a águas de descanso e a pastos verdejantes.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: