Menu de navegação de página

T e x t o s & T e x t u r a s

Vinde & comei

 

CELEBRAÇÃO DA PALAVRA E DA MESA, 02 DE MAIO DE 2010
_________________________________________________________
Rua Ângelo Per­nam­buco, 180 Jar­dim Ermida II, Eloy Cha­ves Jun­diaí — SP
nas depen­dên­cias da Escola Geraldo P. D. Paes (pró­ximo à Serra do Japi)

 

VINDE & COMEI
“Veio Jesus, tomou o pão,
e lhes deu, e, de igual modo, o peixe”
(Jo 21.13) 

LITURGIA DE ENTRADA

♫      Prelúdio

 [A comunidade permanece em oração]

Abertura

“Acolhei-vos uns aos outros, como Cristo vos acolheu,
para a glória de Deus.” (Romanos 15.7)

♫      Recebe-me, Senhor

Ó recebe-me, Senhor, torna-me como tu és;
Sela o meu coração e habita em mim.

[John Bell; Trad.: Luiz Carlos Ramos; Liséte Espíndola e Eliseu Peroni]

Acolhida

“Amor imenso e incontido,
Amor por toda a humanidade,
Amor, pelo qual tudo subsiste,
Amor, o qual todos a todos devem dar,
Amor, que em tudo prevalece,
Amor, que nunca, nunca falha.”

[Charles Wesley]

♫      Amor

Amor sem limites
Amor sem idade
Amor por toda a humanidade

[Charles Wesley; M: David Junker, H: Liséte Espíndola]

LITURGIA DA PALAVRA

Oração por iluminação

Senhor,
Que a tua Palavra
esteja em nossas palavras
e se faça corpo em nossos corpos.
Pelo sopro sagrado do Espírito Santo.
Amém.

[Luiz Carlos Ramos]

♫      Aclamação do Evangelho

Aleluia!
Se alguém me ama
Guardará minhas palavras
E eu nele habitarei.
Amém!

[João 14.23 (adap. por Luiz Carlos Ramos); M: Liséte Espíndola]

Leitura do Evangelho: João 21.1-14 (par. Lucas 5.1-11)

1 Depois disto, tornou Jesus a manifestar-se aos discípulos junto do mar de Tiberíades; e foi assim que ele se manifestou: 2 estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael, que era de Caná da Galiléia, os filhos de Zebedeu e mais dois dos seus discípulos. 3 Disse-lhes Simão Pedro: Vou pescar. Disseram-lhe os outros: Também nós vamos contigo. Saíram, e entraram no barco, e, naquela noite, nada apanharam. 4 Mas, ao clarear da madrugada, estava Jesus na praia; todavia, os discípulos não reconheceram que era ele. 5 Perguntou-lhes Jesus: Filhos, tendes aí alguma coisa de comer? Responderam-lhe: Não. 6 Então, lhes disse: Lançai a rede à direita do barco e achareis. Assim fizeram e já não podiam puxar a rede, tão grande era a quantidade de peixes. 7 Aquele discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: É o Senhor! Simão Pedro, ouvindo que era o Senhor, cingiu-se com sua veste, porque se havia despido, e lançou-se ao mar; 8 mas os outros discípulos vieram no barquinho puxando a rede com os peixes; porque não estavam distantes da terra senão quase duzentos côvados. 9 Ao saltarem em terra, viram ali umas brasas e, em cima, peixes; e havia também pão. 10 Disse-lhes Jesus: Trazei alguns dos peixes que acabastes de apanhar. 11 Simão Pedro entrou no barco e arrastou a rede para a terra, cheia de cento e cinqüenta e três grandes peixes; e, não obstante serem tantos, a rede não se rompeu. 12 Disse-lhes Jesus: Vinde, comei. Nenhum dos discípulos ousava perguntar-lhe: Quem és tu? Porque sabiam que era o Senhor. 13 Veio Jesus, tomou o pão, e lhes deu, e, de igual modo, o peixe. 14 E já era esta a terceira vez que Jesus se manifestava aos discípulos, depois de ressuscitado dentre os mortos. 

Reflexão partilhada:
         “As redes rotas, o lado largo e o pescador pecador”

LITURGIA DA MESA

♫      Peixe e Pão

Rede trouxe peixe bom
Nosso barco está repleto
Sobre a mesa peixe e pão
Esperança e comunhão

[Flávio Irala, Luiz Carlos Ramos e Paulo Roberto Garcia]

Preparação

[As crianças ajudam a arrumar a mesa]

Declaração

[Esta declaração pode ser dirigida por uma criança]

Amigos e amigas, o amor de Jesus é sem limites, sem idade, é amor por toda a humanidade. Esse amor é tão intenso, que nem a morte pode detê-lo. Por isso ele está vivo em cada um de nós, na lembrança dos seus gestos fraternos de solidariedade e partilha.

Hoje repetimos esse gesto com saudade,
e o faremos até o último dia.

Portanto:
Elevemos nosso coração.

Ao Senhor o elevamos.

Rendamos graças ao Senhor nosso Deus.

Assim fazê-lo é digno e justo.

É digno e justo que em todos os tempos e lugares rendamos graças ao Senhor, louvando e engrandecendo o seu nome, e cantando:

♫      Sanctus

Santo, Santo, Santo, Deus de Glória e poder.
Terra e céus proclamam sua glória.
Hosana! Hosana! nos céus e na terra.

Santo, Santo, Santo, Deus de Glória e poder.

Bendito o que vem, vem em nome de Deus!
Hosana! Hosana! nos céus e na terra.

[Texto litúrgico tradicional; ritmo caribenho]

Consagração:

Nosso materno Pai celestial, pedimos-te humildemente que, por tua infinita bondade, e pela ação do teu Santo Espírito, consagres estes dons de pão e vinho, para que, ao recebê-los, conforme nos ensinou o teu Filho, nós sejamos participantes do seu corpo, do seu sangue e do seu amor, para todo o sempre. Amém.

Oração: No colo de Deus

Como eu gostaria, Senhor,
de ser como aquela criança amamentada
que se aninha no colo da mãe;
sem ter necessidade de mais nada
a não ser do calor terno do teu abraço;
sentir teu afago carinhoso me confortando;
e, ao embalo da tua voz paciente,
adormecer sereno
e descansar pertinho do teu coração;
e, ao ritmo da tua respiração suave,
sonhar com coisas boas
que façam meus lábios sorrirem,
e, mesmo de olhos fechados,
façam-me contemplar as estrelas do teu céu
e os frutos do meu chão.

[Texto: Luiz Carlos Ramos; Interlúdio: Liséte Espíndola]

Memorial: Nunca se esqueçam

[Durante o memorial, as crianças podem ajudar com o gesto de partir o pão e servir o cálice]

“Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei:
que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão;
e tendo dado graças, o partiu e disse:
Isto é o meu corpo, que é dado por vós;
fazei isto em memória de mim.

“Por semelhante mo­do, depois de haver ceado,
tomou também o cálice, dizendo:
Este cálice é a nova aliança no meu sangue;
fazei isto, todas as vezes que o beberdes,
em memória de mim.
” (1Co 11.23-25)

A refeição

A santa refeição está servida
e é o Senhor ressurreto quem convida a todos:
homens e mulheres, adultos e crianças,
para juntos celebrarmos a sua ceia.
Sirvamo-nos com fé.

♫      Divino autor da vida

Divino autor da vida, a mesa pronta está
Com vinho santo e o pão da vida eterna.
O alimento lá do céu, sustente a vida que nos dás.

Com teu auxílio e amor, oh, vem nos assistir.
A vida plena, enfim, queremos desfrutar;
Fortalecidos por tua graça, a tua face contemplar.

[Letra: Charles Wesley; Trad. Eliseu Peroni, Liséte Espíndola
e Luiz Carlos Ramos; Música: Liséte Espíndola]

LITURGIA DE ENVIO

Preces

[A comunidade partilha seus motivos de oração]

Silêncio…

Ó Deus, nosso materno Pai,
nossos corações estão cheios de gratidão e louvor,
porque tu nos reuniste novamente
para podermos contemplar-te
no rosto dos nossos queridos irmãos e irmãs,
e sentirmos novamente o teu amor como antes.

Recebe em teus braços as nossas súplicas
e conforta-nos com o teu amor,
que é mais forte do que a morte.

Recebe em teu colo
a nossa lágrima e a nossa alegria,
e reparte conosco
a vida da tua vida,
para sempre. Amém.

[Luiz Carlos Ramos]

♫      União Fraterna

[Este lindo hino foi incluído especialmente na liturgia de hoje, a pedido da D. Carmen]

Que grande bênção é
Estarem, com amor,
Irmãos ligados pela fé
Louvando ao Salvador!

O mundo observará
Tão santa e doce paz
E, qual perfume, sentirá
O gozo que ela traz.

Envia aos teus, Jesus,
Da divinal mansão,
Aquela graça que produz
Perfeita comunhão.

[L: Sarah Poulton Kalley; M: Hans Gerg Nageli; Arr: Lowel Mason (HE 395]

Bênção

Ressuscita-nos da morte da esperança,
    Ressuscita-nos da morte da compaixão,
             Ressuscita-nos da morte da alegria,
                       Ressuscita-nos da morte da fé,
                                Ressuscita-nos da morte do amor.

Acompanhe-nos, todos os dias, a bênção da esperança,
    a bênção da compaixão,
             a bênção da alegria,
                       a bênção da fé,
                                a bênção do amor.

[Luiz Carlos Ramos]

♫      Abraço da paz

Eu te desejo a paz, eu te desejo amor,
vida e alegria dons, do meu Senhor
Eu te desejo a paz, eu te desejo amor,
vida e alegria. Amém, amém!

[Liséte Espíndola]

*
* * *
*
Liturgia preparada pelo Rev. Luiz Carlos Ramos
Pianista: Liséte Espíndola
Ilustração Marcos Brescovici

3 Comentários

  1. Tenho um texto seu (penso que seja…), da revista Voz Missionária (Música sacra ou música para o culto?) que tem abençoado muito minhas turmas em que dou aulas de culto cristão. Deus continue a abençoar sua vida.
    Trabalho como ministra de música na Igreja Batista Memorial da Tijuca (RJ) e leciono no Ciem (Centro Integrado de Educação e Missões).

  2. Oi, Luiz Carlos, suas músicas são inspiradoras…
    Como faço para ter as partituras?
    Obrigada. Jilza Feitosa de Araujo

    • Olá, Jilza,
      fico muito contente de saber que meus textos e músicas lhe tem sido inspiradores.
      Disponho das partituras das músicas mas não em edições publicadas, por enquanto. Estamos trabalhando nisso pra termos um cancioneiro com uma coletânea das canções que tenho composto em parceria com Liséte Espíndola. Esperamos ter isso disponível para breve.
      No entanto, se vc quiser alguma em particular, eu posso lhe enviar em formato PDF.
      Grande abraço,
      Luiz

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: